Tulio Faria

YoutubeLinkParser – adicionando o player do YouTube em um texto

Olá pessoal,

faz tempo que não publica códigos no blog. Hoje decidi brincar um pouco e fazer uma classe em PHP para em um dado texto, trocar todas as ocorrências de links do YouTube pelo player deles.

Não procurei para ver se existia uma solução semelhante, pois eu queria fazer um.

YoutubeLinkParser (fonte/source code).

Abraços e até a próxima!

Curso online de CakePHP

Olá pessoal,

estou planejando aqui algumas coisas para o final desde ano e para o ínicio do próximo. Dentre elas, a criação de um curso online de CakePHP. Estou pensando em realizar o curso de maneira continua, ou seja, através de uma mensalidade simbólica, o aluno vai acompanhando o curso (através de uma periodicidade constante de lançamentos de novos screencasts), além de poder criar screencasts que tiram dúvidas dos alunos. Ou seja, uma aprendizagem contínua.

O que vocês acham?

Se possível, me mandem e-mails (tuliofaria@gmail.com) indicando, por exemplo, se você faria o curso e quais os temas que você gostaria que fossem abordados.

Tenho planos de lançar o mesmo formato de curso para Allegro e Java para We, nestes cursos com alguns convidados, que por exemplo, poderam dar uma “pincelada” em design patterns e outras tecnologias interessantíssimas.

Aguardo a colaboração de vocês com opiniõe!

Valeu!

Criando um menu drop down com jQuery e 3 linhas!

Olá pessoal,

semana passada lecionei um curso sobre XHTML, CSS e JavaScript na faculdade para o pessoal do primeiro ano. Como eles não sabem programar ainda, resolvi passar um pouco de jQuery ocultando assim muita lógica.

A primeira parte é o XHTML:

  1. <p id="menu">&nbsp;</p>
  2.  
  3. <h3>Navegue pelas lojas:</h3>
  4. <ul>
  5.     <li>
  6. <h4>Livros e Papelaria:</h4>
  7. <ul>
  8.     <li><a href="#">Livros</a></li>
  9.     <li><a href="#">Livros Importados</a></li>
  10.     <li><a href="#">Papelaria</a></li>
  11. </ul>
  12. </li>
  13.     <li>
  14. <h4>CDS, DVDs e Games:</h4>
  15. <ul>
  16.     <li><a href="#">Livros</a></li>
  17.     <li><a href="#">Livros Importados</a></li>
  18.     <li><a href="#">Papelaria</a></li>
  19. </ul>
  20. </li>
  21. </ul>

O CSS:

  1. <pre>#menu &gt; ul{
  2.   margin: 40px 0 0 10px;
  3.   background: #FFFFFF;
  4.   width: 150px;
  5.   padding: 0;
  6. }
  7. /* mostrando o cursor do mouse como pointeiro */</pre>
  8. <pre>#menu h4{
  9.   cursor: pointer;
  10. }
  11. /* ocultando o menu */
  12. #menu ul li ul{
  13.   display: none;
  14. }</pre>

E o código JS em jQuery:

javascript
< view plain text >
  1. $(function(){
  2. $("#menu &gt; ul &gt; li &gt; h4").click(function(){
  3. $(this).parent().find("ul").toggle("slow");
  4. });
  5. });

Simples né?
Qualquer dúvida comentem! Forte abraço!

Otimizando as URL’s na hora de migrar um site em PHP para CakePHP

Olá pessoal,

nestes dias fui chamado para fazer um refactory de um dos primeiros sites que desenvolvi. Na época eu não me preocupava com URL’s amigáveis nem coisa semelhante. Para ser sincero, nem sabia do que se tratava.

O site havia sido desenvolvido inteiramente usando chamadas diretas para os scripts PHP, como por exemplo: noticias_ler.php?id=id_da_noticia.

Como uma das características que seriam agragadas a nova versão do site seria a otimização e uso de URL amigáveis, eu não poderia deixar do jeito que estava. Aliás, eu usaria o CakePHP no projeto, então, sem chances de manter como estava.

A primeira coisa eu me veio a cabeça foi mudar pra CakePHP. Não pensei nas consequências disso. Refletindo um pouco mais, vi que uma mudança radical em todas as URL’s do site poderia não ser uma coisa bacana, já que o mesmo já contava com mais de 40.000 notícias dentre outros conteúdos. Já que todos os links antigos deixariam de funcionar. Isso não seria uma boa para motores de busca, nem mesmo para quem colocou uma determinada notícia no favoritos, por exemplo.

Logo, imaginei que eu teria que redirecionar todas as URL’s (pelo menos as mais importantes) para o novo formato. Mas eu queria redirecionar algo como: noticia_ler.php?id=10 para /noticias/ler/10/titulo-da-noticia-bonito.

A primeira coisa que fiz foi rotear no routes.php a URL noticia_ler.php para um controller qualquer (ou para o controller Noticias). No exemplo a seguir, redirecionei para o controler redireciona.

  1. Router::connect('/noticia_ler.php*', array('controller' => 'redireciona', 'action' => 'noticia'));

O controller Redireciona na verdade não precisaria nem existir, poderia ter feito dentro do próprio noticias. Mas a minha idéia era contralar todos os redirects de um único controller.

Na action noticia do controller Redireciona:

  1. $id = $this->params["url"]["id"];
  2. $n = $this->Noticia->findById($id);
  3. $slug = Inflector::slug($n["Noticia"]["titulo"]); // retira acentos e etc
  4. $slug = strtolower($slug); // passa pra minusculo
  5. $slug = str_replace("_", "-", $slug); // troca _ por -
  6. $this->redirect("/noticias/ler/".$id."/".$slug, 301, true);

Detalhe do uso do método slug da classe Inflector, que retira todos os caracteres especiais e espaços para a construção de URL’s amigáveis, transformando, por exemplo, “Tulio Faria” em “Tulio_Faria”. Em seguida faço algumas transformações para ficar no formato que gosto: “tulio-faria”, tudo minúsculo e separado por hífem.

O segundo paramêtro do redirect é o código de redirecionamento a ser usado, no caso do 301 é Movido Permanentemente. O terceiro paramêtro indica que será dado um exit() após o redirecionamento.

Bom pessoal, é isso!

Espero que isso ajude-os assim como me ajudou! Qualquer dúvida, comentem!

Forte abraço!

O que um framework NÃO é

Olá pessoal,

sempre deparo com pessoas me perguntando se devem usar o CakePHP ou não… Ou qual a vantagem de usar o CakePHP ao invés do WordPress ou Joomla (pergunta estranha né).  Tentando esclarecer ainda mais o que é um framework, resolvi escrever o queum framework não é. Vou criar uma lista e explicar o porquê.

  1. Um framework não é um CMS: um framework como o CakePHP não é um CMS, ou seja, ele não gerencia o conteúdo de seu site. Mas nada o impede de criar fazendo uso de um framework.
  2. Um framework não é incompatível com AJAX: se você quer usar esta sigla bonita em seus projetos, um framework não irá te atrapalhar, aliás, em alguns casos, como no CakePHP, ele lhe fornece alguns helpers para trabalhar de forma mais simples com AJAX. Mas se não oferecesse, você poderia escrever seus arquivos JavaScripts na mão e ser feliz da mesma forma, não sendo assim um fator limitante.
  3.  Um framework não te engessa: se você entendeu todos os conceitos e a base de como funciona seu framework preferido, ele não deverá te engessar, pois, sempre você conseguirá criar o que deseja. É claro que se você tentar usar um framework para desenvolvimento web para criar um aplicativo desktop, não vai dar certo.
  4. Um framework não é fácil de aprender: um framework não é simples de aprender e de usar sem o mínimo de entendimento de OOP ou Programação Orientada a Objetos além da arquitetura que o mesmo utiliza. No caso do CakePHP, se você não conhece OOP não saberá a vantagem de criar e usar/não saberá criar e usar, por exemplo, components e helper. Ou o que você poderá fazer usando o app_controller / app_model, uma vez que todos os controllers e models são filhos deles. A arquitetura também lhe ajudará a entender onde colocar o que. Ou seja, quem é o tal model, view e controller e o que colocar dentro de cada um deles.
  5. Um framework não faz mágica sozinho: o framework não sabe se você quer ordenar de forma ascendente ou descendente, a menos que você diga a ele. Lembre-se, um framework te ajuda a manter o código organizado e fornecendo algumas facilidades genéricas, permitindo que você desenvolva cada vez mais rápido.

Bom pessoal, essas são algumas das coisas que vi muita gente confundindo. Caso alguém saiba de mais um fato, comente!

Forte abraço e até a próxima!

URL amigáveis em sites multi-idiomas no CakePHP

Olá pessoal,

este post é sobre algumas idéias sobre como organizar as URL’s em site multi-idiomas, mais especificamente no nome dos controllers. Não sou dono da verdade, então, comentem dizendo o que vocês acham.

Esta semana me deparei com um problema em um site com versões em inglês e português. A URL em português ficava:

/produtos/informacoes/1/nome-do-produto

Isso sempre funcionou para mim, pois faz sentido para mim otimizar e ligar termo produtos, informacoes e o nome-do-produto na mesma URL. Mas o que acontece quando o site estava em inglês? Simplesmente a URL ficava:

/produtos/informacoes/1/product-name

Ou seja, estaria produtos, informacoes com a nome do produto em inglês na URL. Fato que me deixou encabulado, por misturar português e inglês.

Resolvi fazer um pouco diferente. Ao invés de usar o nome do controller como produtos, resolvi usar apenas p e deixei o nome da action como i.

/p/i/1/nome-do-produto

Ou melhor:

/p/i/produto/informacoes/1/nome-do-produto

Sendo que os dois primeiros paramêtros da action, eu simplesmente ignoro e mudo de acordo com o idioma. Em inglê ficaria:

/p/i/product/details/1/product-name

E eu sempre mantenho o id (no caso dos exemplos 1) em todas as URL’s.

Levando em consideração as boas práticas de programação não é recomendável usar como nome para uma classe P e de um método (action) como i, mas para SEO creio que resolve.

O que vocês acham?

Forte abraço!

CakePHP 1.2 Final

Olá pessoal,

a comunidade Cake sempre guarda os presentes para o natal… Neste ano liberaram a versão 1.2 Final (ano passado no natal, liberaram a versão 1.2 beta).

Vale a pena conferir no site oficial! Estou planejando novos vídeos e atualizações para os atuais utilizando a nova versão do Cake… Então, aguardem novidades!

Forte abraço a todos!

Feliz natal a todos!

Fala pessoal!

Mais um ano chegando ao fim…

Estou aqui para desejar a todos um Feliz Natal!

Em 2009 o blog vai tomar outros rumos, vai voltar finalmente a ativa!

Dia 29/12 agora, irei defender meu projeto final de curso e se tudo ocorrer bem, finalmente me graduarei em Sistemas de Informação… E começarei a postar mais no blog! :D

Um forte abraço a todos!

Cortar frase sem cortar palavras

Hoje durante uma conversa com Silicio pelo MSN, ele me perguntou se tinha algo pronto para cortar uma frase. Ou seja, se o texto é muito grande, colocar por exemplo … no final.

No Cake tem uma função semelhante, mas eu tava com preguiça de olhar. Então segue minha formidável saída de 2min e completamente POG para o problema:

  1. $frase = "O rato roeu a roupa do rei de roma";
  2. $p = explode(" ", $frase);
  3. $c = 0;
  4. $t = 12;
  5. $cortada = "";
  6. foreach($p as $p1){
  7. if (($c&lt;$t)&amp;&amp;(($c+strlen($p1))&lt;=$t)){
  8. $cortada.=" ".$p1;
  9. $c+=strlen($p1)+1;
  10. }else{
  11. break;
  12. }
  13. }
  14.  
  15. echo strlen($cortada)."&lt;br /&gt;";
  16. echo $cortada."...";

Deve estar cheio de bugs, mas resolve em um emergência…

Até a próxima!

Metaheurística – Algorítmo Genético na resolução do problema do caixeiro viajante

Olá pessoal,

essa semana apresentei na faculdade mais um trabalho interessante. Era sobre chegar a uma solução razoável para o problema do caixeiro viajante.

O problema do caixeiro viajante é um dos problemas chamados de NP-Completo, cujo a complexidade é dada como grande.

O problema consiste em um caixeiro viajante que tem N cidades a visitar, todas as cidades possuem ligação entre si e quer-se descobrir a melhor ordem de visita das cidades voltando ao ponto inicial, com a menor distância e sem passar mais de uma vez por cidade.

Achar a solução para esse problema com poucas cidades não é tão dificil, por exemplo, com 4 cidades, há a possibilidade de 4! soluções, ou seja, 24 soluções. A medida que aumentamos o número de cidades inviabilizamos o uso de força bruta (testar todas as possibilidades) pelo o fato do número de soluções aumentar.

O algoritmo genético se espelha na natureza para resolver um determinado problema. Assim sendo, no problema do caixeiro viajante, temos uma população composta por soluções aleatórias para o problema. Desta soluções, pegamos uma porcentagem das melhores e as usamos para gerar as demais. E podemos também fazer algumas mutações para evitar da população ser formada somente por clones :) .

Na solução do problema feita em Java por mim, eu tenho uma população de 10 soluções geradas aleatoriamente. A cada evolução eu ordeno essas soluções deixando os melhores primeiro. Eu determinei uma taxa de mortalidade de 50%, ou seja, vou pegar os 5 piores e substituir pelo cruzamento dos 5 melhores. Esse cruzamento também é aleatório, sendo que escolho duas soluções pai de forma aleatória, tento copiar seus “genes”, e ao final completo o que não foi possível ser copiado com “genes” aleatórios (mutação). Na implementação, as distâncias entre cidades é dada por uma matriz de adjacência de 8×8 (8 cidades).

O código completo do Algorítmo Genético implementado em Java.

A implementação não garante uma solução ótima, mas tende a ser uma solução razoável na maioria das vezes.

Bom é isso, até a próxima pessoal!

« Older posts

Copyright © 2014 Tulio Faria

Theme by Anders NorenUp ↑